Menu
busca avançada

Voltar

Notícias

Nossa Senhora da Lapa será homenageada, em seu dia (15), com missa solene, procissão e show07/08/2018

As  homenagens à Padroeira da Cdade começaram nesta segunda-feira, 6, com novenas e missas, que vão até o dia 14, na Igreja Matriz,
 
Celebração de uma missa solene regional, a partir das 19 horas, no Centro Esportivo Professor Ayrton Romero da Nóbrega (Romerão), seguida de show do cantor Dunga, da TV Canção Nova, além de procissão e carreata, marcarão as homenagens a Nossa Senhora da Lapa, no próximo dia 15, feriado municipal, dia da Padroeira de Cubatão. O celebrante da missa solene será o bispo D. Eduardo, da Diocese de São Paulo.

Como informa a Diocese, a carreata, com a imagem peregrina da santa, partirá às 16 horas da Igreja São Judas Tadeu, no Jardim Casqueiro, com destino à Igreja Matriz, na Avenida Nove de Abril. Ali haverá bênção dos motoristas e dos veículos e, às 18 horas, sairá uma procissão rumo ao Romerão, que fica na Rua Embaixador Pedro de Toledo, 365, Vila Paulista.

As homenagens a Nossa Senhora da Lapa não se limitarão ao dia 15. Desde segunda-feira (6), na Igreja Matriz, padres da Diocese se revezam na presidência de novenas e celebrações de missas, a partir das 19h30. Essas celebrações vão até o dia 14.

Nesta terça-feira (7), o tema da novena é "Maria, pesença consoladora na dor", presidida pelo padre Lucas Rodrigo, da Paróquia Santa Cruz.

Dia 8, "Maria, ensina-nos a ouvir a voz de seu Filho", padre Eniroque Ballerini (paróquia São Judas Tadeu).
Dia 9, "Maria, ensina-nos a ser sal e luz da terra", padre Carlos de Miranda Alves (paróquia São Francisco de Assis).
Dia 10, "Maria, mãe dos humildes", padre Alluisio (paróquia São Tiago Apóstolo).
Dia 11, "Maria, responde sim ao chamado de Deus", padre Luis Alfonso (Seminário São José).
Dia 12, domingo, "Maria, mãe e modelo das famílias", d. Francisco Braido, bispo diocesano.
Dia 13, "Maria, força dos que lutam por justiça e paz", padre Cláudio Scherer (paróquia Imaculado Coração de Maria).
Dia 14, "Maria, presença consoladora na dor, mãe dos oprimidos", padre Valdeci (paróquia Sagrado Coração de Jesus).

História - A história da devoção de Nossa Senhora da Lapa em Cubatão remonta ao século XVII, quando os jesuítas adquiriram, através de doação, um sítio que se transformou mais tarde na Fazenda Geral de Cubatão. O sítio era conhecido também como Fazendinha da Lapa. No contrato de doação, havia uma cláusula que obrigava os padres a rezarem uma missa cantada, todos os anos, em ação de graças à Virgem Santíssima, com o título da Lapa.

Essa missa, de acordo com as informações encontradas nos registros da Companhia de Jesus, passou a ser rezada na capelinha erigida pela proprietária das terras, antes do seu falecimento. Essa capela situava-se próxima ao rio Cubatão.

Com a expulsão dos jesuítas das colônias portuguesas, pelo Marquês de Pombal (Sebastião José de Carvalho e Melo, 1699-1782), a capelinha de Nossa Senhora da Lapa ficou ao abandono, respeitando os colonos, entretanto, a obrigação da missa conforme era o desejo da doadora das terras.

A imagem da santa, hoje entronizada na Igreja Matriz, teria sido trazida de Portugal ainda no período colonial pela família de Francisco Pinto, o primeiro donatário das sesmarias que deram origem a Cubatão.

Texto: Paulo Mota - MTb 12.814

Tags

Leia Também