Menu
busca avançada

Voltar

Notícias

Instalações modernas e sofisticação tecnológica caracterizam Faculdade de Medicina de Cubatão24/01/2019

Prédio onde funcionará a unidade a partir de fevereiro, recebeu visita técnica do prefeito e sua equipe
 
Robôs com todas as características humanas, interna e externamente, capazes até de simular reações fisiológicas; computadores que podem mostrar em telas de alta definição todas as atividades do corpo humano, desde uma simples tosse até pressão cardíaca e emissão de fluídos; salas de videoconferência para debates sobre as inovações tecnológicas e  da pesquisa científica com interlocutores de qualquer parte do País e do mundo. O que parece ser um cenário de filme de ficção científica é, na verdade, apenas parte das modernas instalações da Faculdade de Medicina de Cubatão mantida pela Universidade São Judas.

Essas instalações foram conhecidas na manhã de hoje (24) pelo prefeito Ademário Oliveira que, acompanhado de membros de seu secretariado e vereadores, fez uma visita técnica ao prédio de seis andares situado na Rua São Paulo, 328, no Jardim São Francisco.

O imóvel, que abrigará a primeira turma de 100 alunos a partir de fevereiro, não é definitivo. Foi adaptado em dois meses e meio. Porém,  já no próximo dia 31, começarão os entendimentos entre a Prefeitura e a Universidade São Judas com vistas à construção da sede definitiva, em área da municipalidade situada na Av. Martins Fontes, 130, Vila Nova, anexa ao Hospital Municipal e ao Pronto Socorro. 

Durante a visita técnica desta quinta-feira, as autoridades municipais foram recepcionadas pelo diretor do curso de Medicina da São Judas, José Lúcio Martins Machado, pelo coordenador adjunto do curso, Marcos Calvo, e pela diretora do campus Cubatão, Paula Orsatti.  

José Lúcio Martins informou que as atuais instalações serão utilizadas de maneira integral pelos alunos durante os dois primeiros anos do curso, que terá 50 novas vagas a cada ano. Após isso, eles passarão a atuar e ter aulas práticas nas unidades ambulatoriais da Prefeitura e no Hospital Municipal.

Segundo José Lúcio, a faculdade procurará uma integração permanente com a comunidade. "Iremos formar os médicos que Cubatão e a região da Baixada precisam. Profissionais com visão humanista, éticos, disponíveis para atender os problemas do dia a dia da população", disse, em discurso de saudação aos visitantes. Fez um agradecimento especial ao prefeito Ademário Oliveira: "Seria muito difícil essa conquista se não fosse o empenho pessoal do prefeito".

Ademário, por sua vez, destacou a colaboração da Câmara Municipal e lembrou que, além dos benefícios que a cidade terá na área da Saúde e Educação (Cubatão é uma das 34 cidades de todo Estado que possuem uma faculdade de Medicina), haverá ganhos reais para a população já a partir de fevereiro. "A presença dos estudantes,professores e demais funcionários  dará maior movimento ao comércio", disse.

Estiveram presentes à visita técnica: o gerente executivo do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo em Cubatão, Valmir Ramos Ruiz, e o presidente da Câmara Municipal, vereador  Fábio Alves Moreira ( Roxinho) e vereadores.
 
Curso de medicina - A São Judas foi a instituição que melhor cumpriu as exigências do Programa Mais Médicos, do Governo Federal, para abertura do curso de medicina em Cubatão, uma das cidades escolhidas para fazer parte do programa. Com as novas vagas, a Universidade espera contribuir para a ampliação dos serviços médicos de qualidade no município e região.

"Enquanto o Brasil tem o índice de 0,8 vaga em medicina para cada 10 mil habitantes, outros países têm índices maiores. Na Austrália, por exemplo, o índice é de 1,4; na Argentina, é de 3,1. A população brasileira percebe e manifesta o desconforto com essa escassez de médicos", destaca José Lúcio.
 
Ainda segundo ele, o curso prevê programas de residência médica em diversas especialidades e com conteúdos que reforcem a responsabilidade social e compromisso cidadão do aluno. Os estudantes já atuarão nas unidades de saúde desde o primeiro ano, sempre com suporte de professores tutores e apoio de laboratórios integrados. "Sabemos que 86% dos médicos permanecem no local em que cursaram a graduação e a residência médica. A chegada da Universidade deverá contribuir para diminuição da carência de médicos de Cubatão e região e fortalecimento da prestação de serviços na atenção básica em saúde", afirma.

Texto: Paulo Mota - MTb 12.814

Galerias de Imagens

Tags

Leia Também