Menu
busca avançada

Voltar

Notícias

Novo formato do Fundo Social paulista é o destaque do encontro no Palácio dos Bandeirantes25/03/2019

Cubatão foi representada pela presidente do FSS e equipe
 
Com novo nome - Fundo Social de São Paulo - e uma nova estrutura voltada para a capacitação, o empreendedorismo e as parcerias com entidades sociais - a entidade do governo paulista promoveu nesta segunda-feira (25) um encontro no Palácio dos Bandeirantes com os dirigentes dos Fundos Sociais de todo o Estado para apresentar essas mudanças e a equipe gestora, além de explicar como serão as novas atividades. Cubatão foi representada pela primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Adeíza Monteiro Oliveira, e sua equipe. Adeíza salientou a importância de que esses encontros sejam futuramente promovidos em âmbito regional, para maior integração de esforços e o entrosamento entre essas entidades.

Na abertura do encontro, com a presença da titular do Fundo Social paulista, Bia Dória, além do presidente executivo Filipe Sabará, o governador João Dória destacou a importância de contar com toda uma estrutura para o trabalho social, num governo "voltado à priorização das ações sociais, mas também à geração de emprego e riqueza, oferecendo boa estrutura, independentemente de posições partidárias ou ideológicas, para atender os mais necessitados".

"Faremos políticas sociais transformadoras no estado de São Paulo. Para isso, precisamos de paz, serenidade e equilíbrio, para vermos o País crescer", completou, passando a palavra para que Filipe Sabará apresentasse os novos dirigentes do Fundo Social de São Paulo e explicasse a mudança do nome e a nova logomarca, sem a palavra "Solidariedade".

"Ela (a solidariedade) está nas nossas ações, mas o propósito do Fundo Social é também capacitar pessoas e gerar empregos. No dia 1º de janeiro deste ano, foi publicado o decreto com essa mudança, colocando o foco na geração de empregos e na capacitação, além de contar com um novo fundo financeiro que estamos abrindo, em que empresas e entidades possam investir", disse.

Em seguida, ele passou a uma série de avisos, relacionados com as mudanças, entre eles o fato de que os Jogos Regionais dos Idosos do Estado de São Paulo (Jori), antes organizados mais diretamente pelo Fundo Social, passaram para a estrutura da Secretaria dos Esportes.

Escolas - Filipe passou a explicar como as escolas ligadas ao Fundo Social passarão a ser mais vinculadas aos objetivos do Crescimento Sustentável, alinhadas às novas diretrizes. Assim, a antiga Escola de Padaria Artesanal mudou para Escola de Gastronomia e Hospitalidade, "com mais ferramentas para oferecer serviços de qualidade, cruzando o atendimento a situações de vulnerabilidade com o desenvolvimento econômico".

Da mesma forma, foram ampliadas as atividades da Escola de Beleza (agora Escola de Beleza, Estética e Bem-Estar) e da Escola de Moda (agora Escola de Moda, Papelaria, Casa e Artesanato), criando também cooperativas para os formandos e um novo fundo voltado para o empreendedorismo dos alunos.

A Escola de Bioconstrução terá um viés mais ecológico, com foco maior em construção civil completa como ferramenta de empregabilidade; também ensinará Biosaneamento (inclusive para comunidades carentes), Compostagem, Captação de Água de Chuva, Gestão de Resíduos, Hortas Orgânicas, Manejo Florestal, Pintura Natural e Readequação de Espaços. Estas mudanças estão em fase de aprovação.

Surge ainda uma nova Escola de Computação, Informática e Programação, como explicou, detalhando que o formato dos novos cursos será baseado em mapeamento socioeconômico dos territórios municipais, para ver quais as principais demandas em cada lugar e assim destinar as atividades considerando as demandas e os graus de vulnerabilidade da população: "Em áreas de vulnerabilidade social, o foco será no empreendedorismo; onde o mercado é mais desenvolvido, o foco será mais em geração de empregos. O Fundo Social de São Paulo fará convênios com entidades municipais para um trabalho conjunto".

Voluntariado - Ele ainda pontuou que a plataforma de captação de apoios e voluntariado será ampliada para servir a todos os municípios. Em 30 dias, será concluída a formatação digital, de forma a que quaisquer pessoas, empresas ou entidades possam oferecer doações, inclusive de recursos e de tempo de trabalho voluntário.

O S.O.S. Mulher, lançado na sexta-feira passada (22), deverá ser mais que um "botão de pânico" para mulheres em situação de violência, pois trará uma série de serviços de Saúde e de Educação para esse público.

Completando as mudanças, o Fundo Social ganha um novo site na Internet (fussp.sp.gov.br), além de novos perfis nas redes sociais. Em breve, haverá também a TV do Fundo Social, integrando as entidades do setor de todos os municípios, através do Youtube, para o intercâmbio de experiências bem sucedidas que possam ser aproveitadas em outras localidades. E ainda, um novo jornal digital, a ser encaminhado por correio eletrônico.

Na fase das perguntas do público, informou também que a Campanha do Agasalho será lançada em nível estadual na segunda quinzena de abril

Texto: Carlos Pimentel Mendes - MTb 12.283

Galerias de Imagens

Tags

Leia Também