Prefeitura de Cubatão deve assinar termo de fomento retomando atividades artísticas de bandas, corais e equipes de dança

Objetivo é que as atividades tenham início em agosto e deve resgatar o trabalho dos Grupos Artísticos. Projetos vão contemplar pelo menos 200 artistas que irão circular com apresentações de formação de público por bairros, escolas e parques

A Prefeitura de Cubatão deve assinar em 24 de julho o termo de fomento que vai garantir o resgate do trabalho realizado pelos Grupos Artísticos da cidade. O contrato vai permitir que pelo menos 200 artistas entre músicos, cantores, bailarinos, regentes e equipe técnica possam receber pelo trabalho que será realizado ao longo do ano. Uma reunião na tarde desta sexta-feira (12) acertou os últimos detalhes sobre o processo e reuniu Renata Almeida( chefe de Gabinete),  Vanessa Toledo (secretária de Cultura), além dos vereadores Rodrigo Alemão, Marcinho, Ivan Hildebrando, Wilson Pio e Erika Verçosa, além de representantes dos Grupos Artísticos de Cubatão.
Esse plano de trabalho foi elaborado a partir do valor destinado à realização dos projetos por emendas impositivas dos vereadores da Câmara Municipal no valor de R$ 495 mil, havendo um aditivo de R$ 1 milhão por parte da Secretaria de Cultura. O modelo jurídico encontrado para administrar esses valores foi o termo de fomento que já obteve parecer favorável da Procuradoria Geral do Município. Agora, o processo segue para a Secretaria de Planejamento e depois, para assinatura no gabinete do prefeito.
O termo de fomento será celebrado junto às Associações de Músicos da Banda Sinfônica de Cubatão e de Amigos da Banda Marcial de Cubatão. São essas entidades que farão a contratação dos artistas como microempreendedores individuais e a realização dos projetos artísticos como apresentações de gala e de formação de público, oficinas e festivais. “É o resgate do trabalho realizado pelos Grupos Artísticos da cidade em um novo modelo de gestão. Um dos compromissos, inclusive, é absorver parte da mão de obra dos artistas que faziam parte das equipes, talentos da cidade e da região. Nosso objetivo é que as atividades sejam retomadas já no mês que vem”, disse Vanessa Toledo, secretária municipal de Cultura.
Em paralelo a essa retomada, existe o desafio de encontrar um formato mais consistente para a continuidade dos trabalhos artísticos, de acordo com o vereador Rodrigo Alemão. “Queremos que esses projetos sejam realizados com um orçamento que viabilize a manutenção de um contrato de gestão, cumprindo dessa forma uma das propostas do Plano Municipal de Cultura”, afirmou Rodrigo.
Os Grupos Artísticos de Cubatão e seus mais de 250 artistas que integravam a Banda Sinfônica, Cia de Dança, Banda Marcial e Corpo Coreográfico, Coral Zanzalá, Coral Raízes da Serra, Grupo Rinascita de Música Antiga e Programa Banda Escola de Cubatão – BEC, tiveram suas atividades paralisadas em setembro de 2018 quando uma decisão judicial determinou inconstitucional a maneira como vinha sendo realizado o pagamento da ajuda de custo a músicos, bailarinos, cantores, monitores e equipe técnica. A Prefeitura foi obrigada a suspender a ajuda de custo e muitos grupos acabaram parando ou reduzindo as atividades.
Com uma história de mais de 40 anos, os Grupos Artísticos de Cubatão possuem premiações a nível nacional e iniciaram as atividades em 1970, com a criação da Banda Musical por meio do maestro Roberto Farias, um dos grandes nomes da música sinfônica no País e fora dele. Posteriormente, tornou-se Banda Sinfônica e se apresentou em palcos de todo o Brasil e até na Áustria. A Linha de Frente criada por Sílvia Maria Silva Santos serviu de modelo para tantos corpos coreográficos brasileiros e em outros países sul americanos; esse grupo evoluiu para a Cia de Dança de Cubatão, premiadíssima em festivais por todo o País, sendo eleito o melhor grupo do Festival de Joinville em 2018 e tendo se apresentado em Nova York.
Soma-se a essas equipes o trabalho incansável da Banda Marcial e do Corpo Coreográfico, desfilando pelas ruas ou em formação de orquestra de metais, com repertório eclético e abrangente; do Coral Zanzalá, surgido dentro do então Conservatório Musical (hoje Escola Técnica de Música e Dança de Cubatão) que sempre divulgou o nome de Cubatão por encontros no Brasil e até mesmo representando o País no Lincoln Center, em Nova York, em 2014. Há, ainda, o trabalho de pesquisa do Grupo Rinascita que com seus instrumentos de época, executa a músicas dos períodos renascentista, barroco e medieval. O Coral Raízes da Serra, da Terceira Idade, com seu viés social e cultural, e o Programa Banda Escola – BEC – com oficinas de formação de música e dança.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

VEJA TAMBÉM

© Copyright Prefeitura Municipal de Cubatão - 2021. Todos os direitos reservados - DSJ Soluções Digitais